SAL (excesso!!!) – presente na maior parte dos produtos industrializados, como macarrão instantâneo, embutidos (salsicha, presunto, peito de peru), azeitona, caldos de carne. O excesso de sódio da alimentação é responsável por uma série de problemas de saúde como: retenção de líquidos, alteração na absorção de nutrientes, como o cálcio, cefaléias, comprometimento na eliminação de toxinas, problemas de visão, disfunção renal, hiperatividade alteração de pressão arterial com consequente aumento da pressão, doenças cardiovasculares.
 
REFRIGERANTE – uma lata de refrigerante tem cerca de 10 colheres de chá de açúcar. Além disso, tem grande quantidade de sódio, corantes alimentares artificiais, sulfitos e cafeína. O refrigerante tem um resíduo ácido que acidifica o ph sanguíneo, sendo necessário cerca de 35 copos de água para neutralizar essa acidez. O consumo de refrigerante esta associado a osteopenia, osteoporose, cáries dentárias e problemas cardiovasculares. A versão light, zero ou diet tem todos esses problemas e mais, pois o adoçcante utilizado é o aspartame.
 
ASPARTAME (adoçante) – maioria dos produtos diet. É um dos adoçantes mais populares e mais utilizados pela população. Esta presente em 70% dos produtos diet e light. Estudos mostraram que o consumo aspartame, a longo prazo, esta relacionado com uma série de desordens neurológicas. Estudos mostraram que o consumo de aspartame a longo prazo é capaz de causar quadros de ansiedade, s de compulsão alimentar, ansiedade pelo açúcar, tumores cerebrais, depressão, fadiga, dores de cabeça e enxaquecas, hiperatividade, insônia, dores nas articulações, dificuldades de aprendizagem, TPM. Os efeitos do aspartame podem ser confundidos com a doença de Alzheimer, síndrome de fadiga crônica, epilepsia e esclerose múltipla. Além disso, estudos mostraram que ao invés de ajudar no emagrecimento, ele causa desordens no organismo que culminam com o aumento do peso.
 
AÇUCAR- O consumo excessivo de açúcar esta relacionado com o diabetes, hipertrigliceridemia, aumento de peso e câncer.
 
SUCOS INSTANTÂNEOS (EM PÓ) -  além de não oferecer nenhum benefício pra saúde, esses suquinhos são química pura. São apenas corante e açúcar ou adoçante. Os corantes são substâncias estranhas ao nosso organismo e podem causar desde reações alérgicas a uma série de outras complicações como hiperatividade. Alguns corantes que ainda são utilizados no Brasil, já foram proibidos em vários países da Europa pelos seus efeitos maléficos a saúde, como é o caso da tatrazina (corante de cor amarela). Além disso, já vimos o que pode acontecer com o consumo excessivo de açúcar e adoçante.
 
FARINHAS BRANCAS – que estão presentes em pães, bolos, tortas, salgados. Fonte de carboidrato simples, e isento de fibras e nutrientes. O consumo aumentado de carboidrato simples esta relacionado com o aumento dos níveis de triglicérides, glicose (“açúcar no sangue), e aumento de peso. O ideal é substituir a maior parte ou toda a ingestão de carboidratos da dieta pela versão integral.
 
CARNES PROCESSADAS(salsicha, bacon) – possuem uma quantidade altíssima de sódio e gorduras saturadas, além de não oferecer nenhum nutriente que seja benéfico para o organismo. Seu consumo esta relacionado com o aumento da pressão arterial, diabetes e doenças cardiovasculares.
 
BOLACHA RECHEADA – Ricas em gordura, sódio e açúcar. Um pacote de bolacha recheada tem em média 1000 calorias. Por ser um produto industrializado, não oferece nenhum benefício pra saúde, já que não tem nenhum nutriente.
 
SALGADINHOS (DE MILHO, BATATA)– ricos em carboidratos simples, sódio e gorduras. Nesse estágio a gordura já esta oxidada (ou “rançosa”) o que esta diretamente relacionado com processos inflamatórios no organismo; além de todos os outros problemas relacionados com o consumo de carboidratos simples e sódio.
 
FRITURAS (salgadinhos, batata frita, pastel) – O aumento da temperatura na qual o óleo vegetal é submetido para a fritura faz com que este sofra uma alteração, deixando de ser insaturado, se tornando em saturado e trans, que em excesso esta relacionada com aumento dos níveis de colesterol, doenças cardiovasculares, aumento do peso. Além disso, na fritura pode ser formada uma substância chamada acroleína, que é altamente cancerígena.